28
04
19
Por

A Princesa Jasmine sempre foi associada à sua vibrante vestimenta turquesa e suas calças de harém que ela vestia durante a animação clássica de 1992, Aladdin, da Disney. Mas quando Jasmine veio ao mundo dos live-actions, interpretada por Naomi Scott na nova adaptação de Guy Richie que estreia dia 24 de maio nos cinemas, abriu-se um “guarda-roupa ideal” e um estilo mais moderno para a princesa de Agrabah.

Como parte do Summer Movie Preview, da EW, Scott e o figurinista Michael Wilkinson trouxeram à tona as ideias, as motivações e as silhuetas por trás de algumas novas roupas da Jasmine que eles usaram para cenas chaves.

“A temática principal é a estrutura rígida versus a liberdade que eu acredito ser claramente a metáfora para sua jornada como personagem,” disse Scott à EW. “Se ela está vestindo algo que seja rígido e alinhado não pode ser só para que fique bonito, precisa estar conectado com a história.”

O filme cria cerca de 10 novas roupas para Jasmine, cada uma traçando o arco de sua história. Para cenas nas quais Jasmine sente o peso de seu senso de dever e suas responsabilidades, seus vestidos tendem a ser mais detalhados, arranjados e restritivos, enquanto em cenas onde ela começa a se sentir mais livre, as roupas ficam mais soltas e leves.

“Quando você está desenhando os figurinos para um filme em live-action baseado na animação, há a oportunidade de pegar esses personagens e dar a eles, literalmente, mais profundidade e detalhes, penso neles como pessoas articuladas com psicológicos complexos e personalidades interessantes, então foi maravilhoso explorar quem a Jasmine realmente era e ser capaz de expressar isso através de seus muitos figurinos na trama,” contou Wilkinson. O figurinista tomou influências de numerosas fontes para realizar as autênticas e culturalmente precisas criações para Jasmine, frequentemente desenhando em homenagem à descendência indiana da própria Scott. Ele falou que se inspirou nas histórias originais de “Mil e Uma Noites” de onde surgiu o Aladdin, também voltando-se para a ideia de que essa Agrabah do Richie é uma cidade portuária que se encontra na encruzilhada entre o leste e oeste da Arábia, fazendo dela um caldeirão da cultura árabe, indiana e asiática.

“O filme é uma celebração à beleza da cultura árabe,” Wilkinson acrescenta.

Tendendo ao Turquesa

O conjunto icônico de top e calças harém turquesa da Jasmine é um cânone entre os figurinos das princesas da Disney, e Wilkinson e Scott sabiam que precisavam fazer-lhe jus. Wilkinson atualizou o look com um corpete cor de pele e calças fluidas bordadas com cristais e penas de pavão dourado.

“Nós falamos muito sobre a iconografia e imagem que seria relevante para a personagem e nós realmente gostamos da ideia por trás do pavão,” disse Wilkinson. “Conversamos sobre a Jasmine estando presa em uma jaula de ouro – ela precisa viver dentro das regras dessa côrte mas está lutando para fazer as coisas do seu próprio jeito e descobrir seu próprio poder… ela realmente quer apoiar e lutar por seu país e ter o sentimento de liberdade.” Scott acrescenta, “Essa é a ideia de manter esse sentimento recatado enquanto mantém a beleza, o esplendor e a ousadia. Acho que foi muito importante e eu acredito que conseguimos alcançar o equilíbrio.”

A Ida Irreconhecível

Agoniada para escapar dos confins do palácio e vagueando pelos mercados de Agrabah, Jasmine pede emprestada uma roupa mais fresquinha modelada como um Salwar Kameez indiano – uma túnica sobre calças cônicas – de sua criada Dalia. “Melhor do que colocá-la numa grande capa escura que iria destacá-la demais já que as pessoas nos mercados são bastante brilhantes e coloridas, nós imaginamos que isso seria divertido,” conta Wilkinson.

E são nas ruas de Agrabah que Jasmine encontra o cativante “rato de rua” e eles são perseguidos no labirinto pelos guardas do palácio, que não reconhecem a princesa. “O que foi muito importante foi que eu posso me movimentar nela pois é claro que ela começa a correr também,” Scott diz. “Existe esse equilíbrio de sensações que aquilo vem da casa real mas que obviamente não vem da realeza.”

Os projetos anteriores de Wilkinson mantinham as roupas num tom um tanto quanto neutro, mas para Scott, foi a explosão de amarelo e verde brilhante e as bainhas vermelhas adicionadas mais tarde que verdadeiramente fizeram a roupa. “Era leve e eu acho que ficou muito bonita quando composta naquela cena em particular, sendo minimizada” falou Naomi. “Às vezes os figurinos mais simples são os que você mais ama.”

Conheçam a Princesa

Quando os pretendentes se reúnem no palácio para pedir a mão de Jasmine em casamento, ela está trajada com um impressionante vestido magenta de cauda longa, com detalhes em turquesa e bordado com moedas de ouro e cristais.

“Nós quisemos mostrar a formalidade e a firme estrutura de toda essa configuração no vestido em si, portanto é um corpete bem restritivo, mas é altamente decorativo,” explica Wilkinson. Mas Jasmine não é uma princesa comum, mesmo em vestes formais da realeza, ela ainda tem seu próprio jeito de fazer as coisas – o vestido esconde um par de calças turquesas debaixo da saia. “Eu fui sempre muito, muito convicta de que quanto mais calças, melhor, assim como para mim, essa é a marca registrada da Jasmine,” disse Scott.

Ela acrescenta, “Essa foi a única vez que pareceu certo ter aquela cinta, aquilo a endireita completamente e é a primeira vez que a vemos partindo de uma fuga pela lama com Aladdin para, enfim, ser absolutamente o grande sucesso… então sua roupa era muito desconfortável mas incrivelmente impressionante e digna.”

Sob o Luar

Enquanto Jasmine aguarda seu encontro com o Príncipe Ali (Aladdin disfarçado) no pátio do palácio, ela veste um vestido magenta vibrante e coral. “[Ali] tinha prometido encontrar-se com ela em segredo e acaba não aparecendo, e ela leva um bolo,” disse Wilkinson. “Eu sabia que precisava criar algo muito especial para esse momento.”

O vestido é mais soltinho do que as outras vestimentas mais rígidas de Jasmine, as roupas reais, e entrelaçado nas influências indianas dos bordados e a influência árabe nos véus e jóias, com tecidos originados por Wilkinson de Morrocos, Turquia, Índia, Jordânia e Irã.

“O que eu também quis fazer com seu figurino é mostrar a força da sua personagem na combinação das cores de maneiras bem inusitadas – a escolha do coral e da magenta é bastante incomum e dá a ela a característica de um estilo icônico e personalizado,” Wilkinson conta.

Scott completa, “O que eu amei sobre essa roupa foi o fluxo através dela e as cores juntas, o laranja e o rosa, eram simplesmente deslumbrantes, tão tão bonito. Tiraram uma foto, e pareceu que veio de um filme de Bollywood.”

Uma Árabe da Realeza

Com a ajuda do Gênio, Aladdin encantou seu caminho para dentro do palácio disfarçado como o misterioso Príncipe Ali, buscando pela mão da Princesa Jasmine em casamento. Quando ela é apresentada para ele, ela está usando um belo vestido laranja com mangas onduladas e tons de verde – uma mistura incomum de cores mas como Wilkinson esclareceu, muito frequente nas culturas da Arábia e do sul da Índia. “A cor, o material e os detalhes trazem todo um mundo diferente e novo,” diz Scott. “É aí que você pega coisas que se confrontam e as junta para criar algo novo, e é isso que eu amei nessa roupa.”

A utilização do verde é também uma provocação visual já planejada, Wilkinson adiciona. “Nós incluímos um pouco de turquesa a todos os seus figurinos até… a roupa turquesa ser revelada.”

Wilkinson sabia que esse seria um dos figurinos mais formais e exuberantes de Jasmine, então ele construiu algo para se encaixar no perfil. “Eu quis que fosse bem restritivo nos movimentos então o corpete é bastante justo e controlador,” ele diz.

Fonte: Entertainment Weekly
Tradução & Adaptação: Equipe Naomi Scott Brasil